100 MYTOS

6.16.2006

A arte de Almada











"Auto-retrato" (1943) de Almada Negreiros


A Cena do Ódio


Ergo-me pederasta apupado de imbecis,
divinizo-Me Meretriz, ex-libris do Pecado,
e odeio tudo o que não Me é por Me rirem o Eu!
Satanizo-me Tara na Vara de Moisés!
O castigo das serpentes é-me riso nos dentes,
Inferno a arder o Meu cantar! (...)
Tu, que te dizes Homem! (...)
Vai vivendo a bestialidade na Noite dos meus olhos,
vai inchando a tua ambição-toiro
'té que a barriga te rebente rã. (...)
Hei-de, entretanto, gastar a garganta
a insultar-te, ó besta! (...)
Tu chegas sempre primeiro...
Eu volto sempre amanhã...
Agora vou esperar que morras. (...)
E vós também, nojentos da Polític
que explorais eleitos o patriotismo!
Maquereaux da Pátria que vos pariu ingénuos
e vos amortalha infames!
E vós também, pindéricos jornalistas
que fazeis cócegas e outras coisas à opinião pública! (...)
Ah! Que eu sinto claramente que nasci
de uma praga de ciúmes.
Eu sou as sete pragas sobre o Nilo
e a alma dos Bórgias a penar!


«A Cena do Ódio», excerto

Almada Negeiros (n. 7 de Abril de 1893, m. 15 de Junho de 1970)

Nos 36 anos da morte do poeta, escritor, artista plástico e fundador da revista Orpheu.
Morreu numa tarde do dia 15 de Junho em 1970, no Hospital de S. Luís dos Franceses, em Lisboa, no mesmo quarto onde morrera o seu amigo Fernando Pessoa.

2 Comments:

  • Efemeride lembrada e bem merecida para quem foi grande tendo vivido pouco

    By Blogger looking4good, at 6:52 da tarde  

  • É claro que cometi um equivoco no meu comentário anterior ("tendo vivido pouco"). Almada Negreiros morreu com 77 anos de idade. 36 são os anos agora passados sobre a sua morte. Obrigado pelo seu comentário no meu blog.

    By Blogger looking4good, at 10:33 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home